BIOINFORME

Testes funcionais

Teste de tolerância à glicose oral prolongado (com dosagem de glicose e insulina).
Teste do jejum prolongado (com dosagem de glicose e insulina).

TESTE DE TOLERÂNCIA À GLICOSE ORAL

INDICAÇÃO: O TTGO prolongado é empregado no diagnóstico diferencial das hipoglicemias. Procura-se reproduzir o que ocorre no período pós-prandial. Como não é muito específico, reserva-se apenas ao estudo de alguns casos particulares de hipoglicemia. Para o diagnóstico de insulinoma, indica-se o teste do jejum prolongado. A glicose deve se manter acima de 40mg/dL em todos os tempos. Não há padrão de resposta de insulina para avaliação deste teste.

TÉCNICA: Coleta de sangue basal para dosagem de glicose (tubo com fluoreto) e insulina (tubo sem anticoagulante). Administração por via oral de glicose (75 g; em crianças – 1,75g/kg de peso, máximo de 75g). Coleta de sangue aos 30, 60, 120, 180, 240 e 300 minutos após sobrecarga.

CUIDADOS: Hipoglicemia reacional.


TESTE DE ESTÍMULO DO PEPTÍDEO C COM SUSTACAL

Indicação:Avaliação da reserva pancreática em diabéticos do tipo 1 e 2.

Orientações:

  • O teste é realizado somente pela manhã, em jejum de 8 horas.
  • Mede-se a glicemia capilar antes do início do teste (deve estar entre 70 e 200 mg/dL)
  • Pacientes em uso de insulina devem realizar sua aplicação logo após o término do teste, a critério médico.
  • Medicações que estimulam a secreção de insulina (sulfoniluréias e meglitinidas) podem interferir na avaliação do teste.
  • É proibido fumar durante o teste.
  • Técnica:

  • Coleta de sangue basal para dosagem de Peptídeo C
  • Administração de solução de Sustacal 6 ml/kg de peso em até 10 minutos, não excedendo 360 ml
  • Coleta de sangue para dosagem de Peptídeo C aos 30, 60, 90 e 120 minutos após completa ingestão do Sustacal
  • Interpretação:

  • Em indivíduos saudáveis, a resposta varia entre 150 a 300 % do valor basal.
  • MÉTODO: Ensaio imunoenzimático por quimioluminescência.

    AMOSTRA: Sangue (tubo sem anticoagulante).

    TESTE DE ESTÍMULO DO PEPTÍDEO C COM GLUCAGON

    Indicação:

  • Avaliação da reserva pancreática em diabéticos do tipo 1 e 2.

  • Orientações:
  • O teste é realizado somente pela manhã, em jejum de 8 horas.
  • Mede-se a glicemia capilar antes do início do teste (deve estar entre 70 e 200 mg/dL)
  • Pacientes em uso de insulina devem realizar sua aplicação logo após o término do teste, a critério médico.
  • Medicações que estimulam a secreção de insulina (sulfoniluréias e meglitinidas) podem interferir na avaliação do teste.
  • É proibido fumar durante o teste.
  • Técnica:

  • Coleta de sangue basal para dosagem de Peptídeo C
  • Administração por via endovenosa de 1mg de Glucagon
  • Coleta de sangue para dosagem de Peptídeo C após 6 minutos da administração do glucagon.
  • Efeitos Colaterais:

  • Náuseas e rubor
  • Interpretação:

  • Em indivíduos saudáveis, a resposta varia entre 150 a 300 % do valor basal.
  • MÉTODO:Ensaio imunoenzimático por quimioluminescência.

    AMOSTRA:Sangue (tubo sem anticoagulante).